Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Dói-me a alma de uma doença feita de ais...

por poesianunorita, em 04.04.07

 

Dói-me a alma de uma doença feita de ais...

 

Apetece-me rasgar o peito feito em folha de papel

e libertar em bando toda a poesia presa no meu interior...

 

As palavras assim libertas, serão espessas como sangue

vermelho vivo, jorrando alegremente do meu peito

aberto, vibrante pelas emoções descoaguladas...

 

Esta febre que em mim desce é feita das palavras

que flutuam livres e inconscientes no ar que respiro,

neste ar composto cuidadosamente de azuis e verdes,

empurradas pelo vento ou por um mais fundo suspiro.

 

Só assim poderei libertar-me desta doença feita de ais,

comprimidos dentro deste corpo demasiado pequeno

para tantas sensações acumuladas no desfiar dos anos

discretamente passados em sombras de folhas brancas,

cheias de garatujas e esboços do que tento ser.

 

Dói-me a alma duma doença feita de pedaços de céu,

feita de pedaços de mar, feita de pedaços de verde,

feita de mim inteiramente aos pedaços,

espalhados pelas minhas divisões e anexos

desta casa de carne, sangue e poesia.

 

Dói-me a alma e apetece-me cantar....

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:19


1 comentário

De morgana a 10.04.2007 às 23:41

belissimo poema de dor e criatividade.Gostei muito.
Marisa ( mimoscocegas.blogspot.com)

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog


calendário

Abril 2007

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930