Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Sem força e sem maré

por poesianunorita, em 26.07.09

Sem força e sem maré,

perdendo a beleza ao espelho,

o primeiro formigueiro no pé

diz-lhe que está a ficar velho.

 

De prata se enche a serra

no dourado da existência.

Um dia terminará esta guerra,

marcada pela sua essência.

 

Nas profundas faciais depressões

corre a água de um rio,

feito de lágrimas e serões

de quem o fez por desfastio

 

Não lhe digas mais nada,

espelho de mau feitio.

Ris dele à descarada

em jeito de desafio.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:45



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog


calendário

Julho 2009

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031