Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

vizinho das nuvens

ENTRA E BEBE UM CAFÉ DE POESIA

vizinho das nuvens

ENTRA E BEBE UM CAFÉ DE POESIA

Não é para os Pardais

Abril 26, 2010

poesianunorita

Não sinto nada…

 

Abril já passou e as andorinhas verdes partiram há muito…

 

Os poleiros que tinham a alegria dos vestidos de cravos,

encheram-se de Abutres e de Aves de Rapina que espreitam e governam…

 

Não há liberdade para os Pardais!

 

Apenas calma…

Apenas o dia sereno, que avança, sereno.

Tudo sereno e tudo manso.

Bem mandado o dia avança cansado.

 

E os poleiros, que de cheios, até vergam…

E as andorinhas verdes que partiram…

E os Pardais sem liberdade para serem pardais!

 

Ah, a liberdade não é para os Pardais!

 

O primeiro milho não é para eles,

O segundo, também não.

E se ele faltar, eles o pagarão!

 

A liberdade não é para os Pardais!

Não há liberdade para os Pardais!

 

Entalados entre o ferro e a bigorna que adorna…

 

Apenas mansidão,

Apenas serenidade,

Apenas tolerância.

Não, não é para os Pardais, a liberdade!

 

Visitantes

Mais sobre mim

foto do autor

Luso-Poemas - Poemas de amor, cartas e pensamentos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D