Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

vizinho das nuvens

ENTRA E BEBE UM CAFÉ DE POESIA

vizinho das nuvens

ENTRA E BEBE UM CAFÉ DE POESIA

Sem ti não sei ser eu

Março 21, 2013

poesianunorita

Amo-te com a serenidade de um rio.

Mas por vezes sinto-te a escapar como areia pelos dedos.

 

Os teus olhos embarcam em viagens para onde não fui convidado,

lugares só teus, para os quais não forneces bilhete

e para onde precisas de ir, 

só Tu.

 

Mas regressas, regressas sempre.

 

Minha vida, minha pele.

 

Sem ti não sei ser Eu, seria outro.

 

Ainda não compreendi ao que vim mas contigo sou Eu e não outro

e quero ser Eu e não outro.

 

Se é exagero amar-te então deixa-me ser exagerado.

Se é exagero querer ser Eu e não outro,

por favor, deixa-me ser Eu.

 

Junto de ti.

 

Regressas sempre, bem sei.

Aguardo.

Mas receio…

Dia da MÃE

Maio 03, 2009

poesianunorita

Meu jardim florido de eternos beijos...

Meu pomar fértil em ternos desejos...


Minha Terra, meu Sal

minha Luz, meu Caminho

meu Cordão Umbilical

meu Rio, meu Carinho

minha Força, minha Alegria

minha Vontade de Viver

minha Voz, minha Fantasia

minha marca de Saber

meu Gosto, meu Perfume

meu Apoio, minha Almofada

minha Frase que resume

o quanto és Amada.


Minha Mão, meu Pé

minha Boa Educação

meu Olho, minha Fé

minha Justa solução

meu Fogo, meu Calor

minha Sede, meu Siso

minha rima de Amor

meus Dentes, meu Riso

meu Ser, minha Forma

minha Fonte de abraços

meu Querer, minha Norma

guia dos meus passos...

  

Meu Tudo, meu Mundo

minha Estrela de Belém

meu Tempo ao segundo

 

minha Querida , Querida    MÃE 

Miro-te num silêncio...

Abril 29, 2009

poesianunorita

Miro-te num silêncio de candeeiro de rua, entre a cumplicidade das estrelas e a brisa morna. O teu corpo tem bailados de sedução que seduzem a própria sedução. As palavras, desnecessárias, procuram outros que as pronunciem, outros que ainda delas precisem. Para nós as palavras já não são novidade. Só o silêncio é que nos traz sempre algo de novo, repleto de vontades e de movimentos, de sombras voluptuosas e de olhares carinhosos, de contactos ternos e de cumplicidades. Meu amor, fiquemos com o silêncio que nos une. 

Mastro firme

Outubro 17, 2008

poesianunorita

Aguardo no mastro firme do meu barco

pelo liso imaculado da tua vela.

 

 

As águas, agora serenas, antecipam o teu vento

que as irá inquietar e abanar o barco

que passará a ser de ambos,

na bolina da conjunta agitação.

 

 

Lançaremos âncora numa ilha secreta

e, convictos, enterraremos o tesouro precioso

nas areias nuas, virgens e imaculadas.

 

 

Assinaremos no mapa o X que sela o segredo do nosso amor.

 

 

Daqui partiremos em novas demandas

nessas ilhas por explorar, diferentes locais a experimentar,

mares novos onde infinitamente navegar,

marinas refrescantes

e novos portos

onde aportar este barco de dois

que não se cansa de viajar. 

Visitantes

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D